…Informação para Refletir e Crescer…

Posts marcados ‘Pesquisa’

#Compulsão por Compras

# Te desejo que…

@#! 30 !#@

… Lá vem ele atrás de mim… corre.. corre..

Não tem jeito!kkkk

Os 30 chegou !

E trouxe com ele o doce prazer de estar caminhando alinhada com minha missão e visão de vida pessoal. Graças a Deus!!!

Como Balzaqueana, me sinto : Feliz, Realizando, em Paz, Amando e me sentindo amada! Mais linda(por dentro e por fora – uhuhuhu), mais curiosa pra aprender o que não aprendi, segura pelo que já aprendi, feliz por poder ajudar ao próximo!!!

Agradeço a painho, mainha, família, amigos, colegas de trabalho por tudo que contribuiram até hoje na minha vida, no meu crescimento!

o.b.r.i.g.a.d.a. !!!

E a todos os anjos que passaram e vão passar na minha vida, agradeço a Deus, por vocês!

Ômega-3 reduz risco de psicose

A esquizofrenia afeta aproximadamente 1% da população. O distúrbio, em geral, surge pela primeira vez na adolescência, deflagrando sintomas como mania de perseguição e isolamento social. Um estudo realizado por um grupo de psiquiatras coordenados por Paul Amminger, da Universidade de Viena, indica que ácidos graxos poli-insaturados na alimentação podem reduzir o risco da patologia.

#Lançamento de Livros

*Passagem Bíblica

“Em Deus, cuja palavra eu exalto, neste Deus ponho a minha

confiança e nada temerei. Que me pode fazer um mortal?”

Salmos 56:4

#Distúrbio {Estresse} agrava o ranger dos dentes durante o sono

Nos anos 70, nos Estados Unidos, a prevalência de pessoas com bruxismo(ranger dos dentes involuntáriamente) era de 12,5%. Dez anos depois, o índice saltou para 25% e, na década passada, alcançou 33%. A previsão é que em 2010 mais da metade dos americanos apresentam o problema. No Brasil não há dados de prevalência, mas acredita-se que os números sejam semelhantes aos dos Estados Unidos. Ainda com causas desconhecidas, acredita-se que o estresse seja o principal responsável por estimular o bruxismo, que ocorre principalmente durante o sono.  A odontologista Maria Giraki e seus colegas da Universidade Heinrich Heine Dusseldorf, Alemanha, realizaram um estudo que confirma essa teoria. Para isso, foram acompanhadas 69 pessoas, entre as quais 48 rangiam os dentes.

Os voluntários utilizaram um fino filme plástico nos dentes superiores durante cinco noites seguidas. Com base no desgaste do material foi possível não só avaliar quem apresentava o problema, mas também com que intensidade haviam apertado a arcada. Entre outras coisas, os pesquisadores perguntaram aos participantes sobre o estresse na vida profissional e pessoal, assim como sobre seu estado de saúde.

Resultado : quem se estressava com frequência no dia a dia ou passava por problemas ou mudança em aspectos importantes da vida rangia mais os dentes à noite.

Problemas com os colegas de trabalho ou com o chefe estavam em segundo lugar na lista de fatores de risco, seguidos de limitações físicas, como doença e cansaço. Mesmo quem tendia a ignorar seus problemas tinha risco maior de ter bruxismo. Idade, sexo e formação, porém, não desempenhavam nenhum papel no quadro. Vários voluntários nem mesmo sabem que apertam e movimentam seus maxilares enquanto dormem; em geral, descobrem quando os dentes se soltam, o esmalte é afetado ou o colo do dente fica exposto.

Fonte : Revista Viver Mente e cérebro, p. 76, dez.2010.

Como tratar o bruxismo?

Se os danos não forem avançados, seu dentista pode preparar um tipo de protetor, rígido ou maleável, que se adapta à arcada dentária inferior e evita que as duas arcadas (superior e inferior) batam uma contra a outra. Além disso, o tratamento do stress também ajuda a controlar o bruxismo.

Como tratar o Stress?

Antes de procurar ajuda de um profissional tente fazer um “exame interno”, primeiramente é importante reconhecer seus limites, suas prioridades em suas atividades, compartilhar ou “desabafar” com uma pessoa de confiança pode ajudar a ver o problema de outra forma, e nós mesmos sabemos o que nos agrada, procure fazer uma atividade física que goste como nadar, jogar futebol, andar de bicicleta, dançar, caminhar, desfrutar de atividades culturais, leitura, ir ao cinema, teatro, parques, ouvir música, viagens ou simplesmente sentar em um lugar agradável com pessoas agradáveis e ficar “jogando conversa fora”. Na hora de alimentar-se, reserve essa hora para o seu organismo, não tratar de problemas no almoço, ou discussões, se não conseguir der uma pausa na sua rotina, e ver que nada do que faça alivie suas tensões, procure um profissional da área que te analise, e que te oriente sobre como suprir suas necessidades.